quinta-feira, 17 de maio de 2018

As conexões entre a CIA e o tráfico mundial de drogas

Por: Kalee Brown
Tradução: Jean A. G. S. Carvalho


Font da foto: BBC

Se você sabe sobre a guerra estadunidense contra as drogas, então pode ser que você não vai se surpreender ao saber que a CIA representa uma das maiores organizações de tráfico de drogas da história. Foi a CIA que originalmente criou o LSD (com a ajuda de um produtor suíço) como uma droga de "controle mental", parte do projeto MK Ultra, com o objetivo de permitir que pacientes sob sua influência pudessem cometer atos inimagináveis comandados diretamente pelo governo e, depois, se esquecer de absolutamente tudo.

É claro que esse projeto foi abandonado e, então, a CIA introduziu o LSD para o consumo da população civil dos Estados Unidos.

A CIA desempenhou um papel crucial na produção, no tráfico e/ou na venda de numerosas drogas, tanto nos EUA quanto no mundo inteiro. A CIA é bastante próxima de práticas como lavagem de dinheiro, testes perigosos em pacientes coagidos e até mesmo homicídio relacionado ao narcotráfico. 

A heroína, oriunda do ópio, foi uma das drogas mais enfatizadas pela CIA durante décadas. A CIA realmente controlou e operou uma rede aérea de tráfico de drogas, sob a máscara de uma empresa chamada Air America, que foi usada para transportar inúmeros produtos, incluindo heroína.  

O envolvimento da CIA com a indústria de ópio não pára por aí. A CIA conscientemente fez vistas grossas ao tráfico de ópio no Afeganistão durante os anos 1980, até que o Talibã tomou o controle do país e tentou eliminar a produção. A indústria afegã de ópio, que representava 90% da produção mundial da droga, foi então demolida. O atentado do 11 de setembro ocorreu um ano depois, dando aos EUA a razão perfeita para invadir o Afeganistão. 

Bem, pouco tempo depois, os EUA tomaram controle dos campos de cultivo de ópio e, então, testemunhamos um retorno massivo e rápido da produção de ópio no Afeganistão.


É bastante claro que o governo dos EUA tem um problema com ópio, um problema que garante muito dinheiro durante o processo.


O que é a Air America?


Não, não estou me referindo ao hit dos anos 1990, estrelado por Mel Gibson e Robert Downey Jr (apesar de o filme conter muito mais fatos do que mera ficção). O filme foi baseado na linha aérea controlada pela CIA, a Air America, que foi usada durante a Guerra do Vietnã para transportar comida, suprimentos e outros itens - incluindo ópio. Essas partes do filme são corretas, e parece que a linha aérea operada pela CIA foi, de fato, usada para traficar drogas. 

No Sudeste Asiático, durante a Guerra do Vietnã, a CIA trabalhou juntamente com o general Vang Pao, do Laos, num esforço para transformar esse país no maior exportador de heroína do mundo. A CIA, então, inundou o Sudeste Asiático com drogas, permitindo que o Triângulo Dourado (partes de Burma, Tailândia e Laos) se tornassem o epicentro mundial da heroína. 

Agentes do BNDD (Bureau of Narcotics and Dangerous Drugs - Departamento de Narcóticos e Drogas Perigosas) conseguiram apreender um avião da Air America que continha uma quantidade imensa de heroína, mas a CIA ordenou que os agentes liberassem o avião e parassem qualquer investigação mais aprofundada. 

Porém, a CIA não só estava envolvida com o transporte de drogas. A heroína era refinada num laboratório construído nas instalações do quartel-general da CIA na região norte do Laos. Depois de uma década de intervenção militar estadunidense, a região do Sudeste Asiático já representava 70% do suprimento mundial de ópio.

Infelizmente, muitos dos próprios operadores do processo se tornaram viciados em heroína. Na mesma época, o Sudeste Asiático se tornou o principal fornecedor de matéria prima para a indústria de heroína dos EUA. Apesar de a Air America aparentemente ter fechado as operações em 1976, o envolvimento da CIA na indústria de ópio e heroína continuou em outras partes do mundo.

Apesar de o site oficial da CIA ainda negar que a Air America fosse usada para transportar drogas, isso não é mais, nem de longe, uma teoria da conspiração. A própria mídia mainstream já abordou o assunto, assim como o History Channel produziu uma série chamada "America's War on Drugs", que chega até mesmo a mostrar informações bastante acuradas sobre a guerra contra as drogas, incluindo o papel da Air America no transporte de heroína (ao menos durante os dois primeiros episódios que foram lançados essa semana). 

De acordo com um artigo publicado pelo New York Times em 1993, o envolvimento da CIA com a indústria de heroína começou aos poucos, ainda durante a Guerra do Vietnã. Durante a Guerra da Coréia, em 1950, a CIA comprovadamente oferecia armas e heroína em troca de informações. Bem, parece que o "problema da CIA com a heroína" não começa nem termina no Sudeste Asiático.


O papel do governo dos EUA no tráfico de heroína no Afeganistão

O Afeganistão é outro país com uma história complicada de envolvimento com as indústrias do ópio e da heroína, em grande parte conectadas à CIA. Nos anos 1980, os rebeldes mujahideen apoiados pela CIA estavam fortemente envolvidos no tráfico de heroína. A CIA supria caminhões e mulas que eram usados no transporte do ópio.

Apesar de que o Afeganistão fornecia aproximadamente 50% da heroína usada pelos estadunidenses, os EUA falharam em intervir ou investigar a indústria afegã de drogas durante anos. Ao invés disso, muitos dos indivíduos que traficavam drogas no Afeganistão eram, na verdade, treinados, armados e fundados pela CIA ainda naquela época.

A produção de ópio decaiu graças ao regime Talibã. Nos anos 2000, o Talibã havia banido completamente a produção de ópio, praticamente erradicando 90% da produção mundial de heroína. O diagrama abaixo, fornecido pela ONU, esboça a história da produção do ópio no Afeganistão:


Gráfico adaptado e traduzido pelo tradutor do texto - o gráfico consta originalmente no artigo em inglês

Depois do atentado do 11 de setembro e da invasão dos Estados Unidos no Afeganistão, a produção de ópio voltou a crescer subitamente. Há inúmeras fotos de soldados dos EUA protegendo campos de produção de ópio - o que ainda acontece hoje, depois de mais uma década (eles não destruíram os campos, e é possível ver algumas dessas fotos aqui).

Enquanto isso, uma campanha de propaganda criada pela administração Bush prometeu destruir todas as drogas e declarar tolerância zero às drogas, conforme a guerra estadunidense contra as drogas prosseguia. Durante os governos Nixon, Reagan e Clinton, o público já havia testemunhado múltiplos presidentes prometendo acabar com o uso de drogas, o que se tornou um imenso pretexto para o aprisionamento em massa de estadunidenses, principalmente negros e hippies (leia mais sobre isso aqui).

Enquanto esses presidentes prometiam colocar um fim nas diferentes epidemias de drogas, eles estavam, na verdade, alimentando-as, conforme a CIA e outras formas de reforço da lei estavam imensamente envolvidas no tráfico de drogas.

Não é segredo que o 11 de setembro foi um trabalho interno, também referido como um ataque terrorista de false flag. Se você não sabe sobre isso, por favor leia esse artigo do CE. Assim sendo, isso dá origem à pergunta: dado que a produção afegã de ópio subiu tremendamente durante a invasão dos EUA no Afeganistão...


O ópio foi um dos motivos por trás do ataque do 11 de setembro?

Foi o presidente Richard Nixon quem originalmente começou a promover o slogan de "lei e ordem", uma mentalidade que a elite ainda persegue, e foi Nixon quem também lançou uma "guerra às drogas" em 1971. 

Disfarçada como uma tática para diminuir o uso de drogas, esse plano foi, na verdade, uma estratégia para encarceramento em massa, particularmente contra cidadãos negros. Entre 1970 e 1980, a população carcerária dos EUA cresceu de aproximadamente 300.000 para mais de 500.000 [um crescimento de mais de 50%]. A ironia é que, pra começo de conversa, a própria CIA estava introduzindo algumas dessas drogas usadas nas ruas. 

A guerra Às drogas continuou durante décadas e, por volta dos anos 2000, a população carcerária dos EUA havia praticamente duplicado, atingindo mais de 2.000.000 de presos, como resultado direto das novas leis sobre drogas. 

À medida em que mais drogas invadiam as ruas, mais presidentes conduziam essas campanhas de propaganda contra as drogas, enquanto colhiam os benefícios disso. Ao mesmo tempo, corporações lucravam com a privatização do sistema carcerário e, assim, os dois lados saíam ganhando. A elite também estava aparentemente satisfeita, já que foi Rockefeller quem havia proposto o "governo de 15 anos para a vida", em primeiro lugar.

Contudo, o Talibã havia tomado o poder no Afeganistão, diminuindo a oferta de ópio e heroína nas ruas dos Estados Unidos (exceto pela oferta disponibilizada pela Big Pharma). A CIA não está distante do tráfico de drogas, então, é possível que viram nisso uma oportunidade para cometer um ataque terrorista de false flag para justificar a invasão do Afeganistão, permitindo, assim, retomar o tráfico de ópio. O motivo faria sentido, já que a guerra contra as drogas nos EUA ainda era um tema em 2001.

A CIA já teve laços com essa área, conforme havia criado, treinado e fundado a Al Qaeda/Talibã durante o período mujahediin. Pergunte a si mesmo: se o governo dos EUA estava realmente lutando contra essas organizações, então por qual motivo continuam a financiá-las?

"A Al Qaeda e as organizações filiadas, incluindo o Estado Islâmico, não são organizações independentes: são grupos financiados, e são financiados pelos Estados Unidos e seus aliados. É algo documentado que, antes de 2011, havia um processo de recrutamento de mujahideens para lutar na Síria, e isso foi coordenado pela OTAN e pelo alto comando Turco. Esse relatório é confirmado por fontes de notícias israelenses e, inegavelmente, estamos lidando com um terrorismo financiado por Estados, com recrutamento de mercenários e treinamento e financiamento de terrorismo"
- Dr. Michel Choissudovsky

A congressista Tulsi Gabbard foi citada dizendo que "a CIA também tem fornecido armas e dinheiros através da Arábia Saudita, da Turquia e do Qatar, e outras [organizações] fornecem apoio direto e indireto a grupos como o Estado Islâmico [Daesh] e a al-Qaeda; esse apoio permitiu que a Al-Qaeda e suas organizações terroristas próximas estabelecessem fortalezas ao redor da Síria, incluindo Aleppo". Gabbard chegou a propor um projeto chamado "Ato Contra o fornecimento de armas aos Terroristas", que, de modo alarmante, só recebeu 13 apoiadores no Congresso dos EUA.

É certo que o 11 de setembro foi um trabalho interno, mas a verdade completa por trás desse motivo ainda é incerta. A teoria do ópio parece uma possibilidade bastante forte, mas, é claro, a elite teve sua própria agenda e o governo dos EUA teve outros motivos também.

A única coisa considerada como fato é que o 11 de setembro foi uma demolição controlada e a guerra contra as drogas nos Estados Unidos foi só campanha de propaganda. Quem sabe se as duas coisas estão relacionadas? Pra mim, parece haver uma conexão em potencial!




Originalmente postado em: CE - Collective Evolution



Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Visitas

Participe do nosso Fórum Online

Siga-nos no Facebook

Marcadores