quinta-feira, 19 de abril de 2018

Ex-Inspetor Chefe da ONU admite: "Assad não é o responsável pelos ataques químicos"

Por: Sean Adl-Tabatabai
Tradução: Jean A. G. S. Carvalho


À direita, Åke Sellström, que trabalhou nas inspeções sobre armas químicas no Iraque e, agora, na Síria


Um ex-diretor dos inspetores de armas da ONU disse que o governo sírio não é responsável pelo recente episódio com armas químicas, e alega que o ataque é uma tentativa de derrubar Bashar Al-Assad.

Dúzias de pessoas foram mortas na cidade de Douma, controlada pelos rebeldes, no sábado, num ataque que o presidente Vladimir Putin e outros descreveram como uma "false flag" perpetrada pelo grupo dos Capacetes Brancos, filiado à Al-Qaeda.

Na noite de domingo, dois caças israelenses F-15 atacaram uma base militar aérea síria na província de Homs, disparando oito mísseis teleguiados no aeroporto, matando 14 soldados.

O canal Infowars.com informa que, contudo, de acordo com o especialista em armas químicas Åke Sellström, que investigou o uso de armas químicas tanto no Iraque quanto na Síria, é improvável que Bashar Al-Assad e o Exército Sírio sejam os responsáveis pelo ataque na Ghouta Oriental.  

"Com grande crítica por parte da comunidade internacional, Assad e os russos bombardeiam Ghouta aos poucos, e achar que eles adicionariam a isso a oportunidade de também serem criticados por usar armas químicas é algo que parece muito estranho. Eles não precisam disso, as táticas deles já estão sendo bem-sucedidas", disse Sellström, afirmando que pode haver numerosas "outras explicações" para o ataque. 

Sellström afirmou ainda que, se as Nações Unidas realmente investigarem o ataque, gravações e testemunhos não serão suficientes para definir o que ocorreu.

"Teríamos de encontrar pessoas e doutores e, em particular, precisaríamos de amostras do ambiente e das pessoas contaminadas", disse Sellström, afirmando que seria difícil medir o nível de exposição ao cloreto "porque ele evapora rapidamente e não deixa nenhuma marca visível no corpo". 

Como documentamos no vídeo abaixo, o grupo rebelde em Douma já havia concordado em deixar a área no prazo de 48 horas, e a batalha foi vencida.

Uma fábrica de armas químicas que estava em poder dos rebeldes também foi descoberta na mesma região onde o ataque aconteceu semanas atrás.

Dado que o Exército Sírio estava perto da vitória, não faz nenhum sentido, de qualquer modo, acreditar que os sírios sabotariam seu próprio sucesso. 



Publicado originalmente em: Your News Wire



Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Visitas

Marcadores