segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

A paixão dos EUA pelas armas: violência em números

Por: Tom McCarthy, Lois Beckett e Jessica Glenza
Tradução: Jean A. G. S. Carvalho




Nos EUA, há 88 armas para cada 100 habitantes. No país, há uma frequência de tiroteios em massa 11 vezes maior do que em qualquer outro país desenvolvido.

Os Estados Unidos não são apenas o líder mundial em posse de armas, como também sofre tiroteios em massa numa taxa 11 vezes superior à de qualquer outro país desenvolvido, de acordo com um estudo de 2014 publicado no International Journal of Criminal Justice Sciences.

Aqui estão as principais estatísticas referentes à propriedade de arma e violência por armas de fogo nos Estados Unidos, após o ataque em um festival de música na noite de domingo em Las Vegas, que foi o maior tiroteio em massa da história do país.


88 armas para cada 100 pessoas

Esta é a taxa de propriedade de armas nos Estados Unidos, a mais alta do mundo, de acordo com o escritório da ONU sobre drogas e criminalidade, com dados publicados através de sua pesquisa anual de crimes para 2012. O segundo colocado na lista, o Iêmen, tem 54,8 armas para cada 100 pessoas.


Até 50%

Esta é a proporção mundial de armas de propriedade civil concentradas só nos Estados Unidos. Com menos de 5% da população mundial, os Estados Unidos dispõem de cerca de 35% a 50% das armas civis do mundo, de acordo com o Small Arms Survey de 2007.


Mais de 30.000

Esse é o número de estadunidenses mortos por armas de fogo anualmente. Cerca de dois terços dessas mortes são suicídios.



Mais de 100.000

É o número médio de pessoas baleadas anualmente nos Estados Unidos, de acordo com um estudo publicado na revista Health Affairs.

25 vezes


Os estadunidenses, em geral, são "25 vezes mais propensos a serem assassinados com uma arma de fogo do que as pessoas em outros países desenvolvidos", dizem os defensores do controle de armas.

70%


É a proporção de assassinatos nos Estados Unidos nos quais uma arma de fogo é utilizada, de acordo com estatísticas do FBI.


71%

É o aumento do número de armas de fogo detidas nos Estados Unidos desde 1994.


38%

É o aumento do número total de armas pertencentes aos Estados Unidos desde 1994.


3%

É a proporção de pessoas que possuem metade das armas do país, de acordo com um resumo do resultado da pesquisa inédita feita pelos centros acadêmicos Harvard / Northeastern University. Ancorados a esse grupo estão os super-proprietários de armas dos EUA - cerca de 7,7 milhões de estadunidenses que possuem entre 8 e 140 armas.


$2,8 bilhões de dólares

É o total de despesas hospitalares anuais para tratar as vítimas de tiroteio nos EUA, de acordo com estudos. Se os salários perdidos e as despesas hospitalares forem considerados nessa conta, os pesquisadores afirmam que o custo anual dos tiroteios nos EUA pode chegar a $45 bilhões de dólares.


Mais de $1 milhão de dólares

É o montante de seu próprio dinheiro que um médico gastou para financiar uma pesquisa de prevenção contra a violência causada por armas de fogo após a pressão política da National Rifle Association contra o financiamento federal para pesquisas de saúde pública relacionadas às armas de fogo.


73%

É a proporção de assassinatos de armas de fogo entre todos os assassinatos em 2016 - o mais alto registrado nos Estados Unidos, de acordo com estatísticas do FBI. Enquanto os assassinatos nos Estados Unidos estão bem abaixo dos altos históricos, os assassinatos de armas representam uma maior parcela do total total.


400.000

É o número de armas de fogo roubadas anualmente nos Estados Unidos, de acordo com um resumo do resultado da pesquisa Harvard / Northeastern não publicado. Isso é comparado com os 230.000 roubos anuais de armas de fogo em uma estimativa recente feita pela National Crime Victimization Survey.


32%

É a proporção de homens dos EUA que afirmaram possuir uma arma de fogo em 2015, contra os 42% registrados em 1994, de acordo com o estudo de Harvard/Northeastern.


12%

É a proporção de mulheres estadunidenses que afirmaram possuir uma arma de fogo em 2015, diante dos 9% registrados em 1994.


127

É o número de cidades dos EUA que respondem por metade dos homicídios causados por armas de fogo no país em 2015, de acordo com uma análise geográfica feita pelo The Guardian.


Menos de 1/4

É a parcela da população do país que vive nessas 127 cidades. Leia mais no relatório do The Guardian: "Want to fix gun violence in America? Go local".


Publicado originalmente em: The Guardian


------------------------


O problema das armas de fogo nos EUA


Nos três meses que antecederam o massacre da igreja de Sutherland Springs, o Departamento de Defesa acrescentou, apressadamente, 4000 novos nomes à "lista nacional de pessoal militar dispensado de forma desonrosa, proibidos de possuir armas de fogo", um movimento que a CNN informa como "um sinal do que tem sido um enorme buraco no sistema nacional de verificação de antecedentes para a compra de armas".

A implicação, de acordo com a CNN, é essa: "por um período desconhecido, mais de 4.000 pessoas tiveram a oportunidade de comprar armas de comerciantes enquanto deveriam ter sido legalmente impedidas de fazê-lo".

O homem armado no massacre de Sutherland Springs foi expulso das Forças Armadas por atacar a esposa. Por lei federal, isso deveria ter impedido o atirador de comprar seu rifle semiautomático, mas a Força Aérea dos EUA admitiu que não havia enviado seus registros ao sistema de verificação de antecedentes do FBI.

Desde 2015, o número de pessoas impedidas de possuir armas de fogo porque foram demitidas desonrosamente havia flutuado em cerca de 11000, de acordo com as estatísticas do FBI publicadas on-line. Esse número saltou para 14825 em novembro do ano passado, e depois passou para 15.583 em dezembro. Agora, o registro é de 15.597.


Disponível originalmente em: www.geopolitica.ru




Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Visitas

Marcadores