sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Alexandr Dugin: Transhumanismo e Pós-humanismo

Por: Alexandr Dugin
Transcrição e tradução: Jean A. G. S. Carvalho



[Transcrição e tradução de uma das edições do programa Dugin's Guidelines, sobre Transhumanismo, de Alexandr Dugin - o vídeo traduzido pode ser visualizado aqui]


--------------------------------



Saudações, você está assistindo o programa Dugin's Guidelines ["Diretrizes de Dugin"]. Hoje, estaremos discutindo o fenômeno do transhumanismo.

A tendência do transhumanismo está ganhando popularidade em todo o mundo - em primeiro lugar, no Ocidente, onde ela se originou. Seu símbolo é um círculo com a letra "H" de "humano" e o sinal de mais: H +. Os adeptos dessa tendência aceitam com entusiasmo toda tecnologia moderna e levam a ideia de progresso até sua conclusão lógica. 

Na opinião deles, o aprimoramento da tecnologia levará a humanidade a um estado no qual seres mais perfeitos poderão ser criados artificialmente a partir da espécie humana. Isto deve ser alcançado através do refinamento de todas as partes do corpo humano por meio da substituição por anexos artificiais que são indistinguíveis das partes do corpo e dos órgãos internos. Isso inclui a simulação tecnológica da consciência ou o registro da consciência em diferentes "receptores", a cartografia ou mapeamento do cérebro. As últimas descobertas na estrutura do genoma humano permitem que os organismos sejam corrigidos e sua qualidade seja aprimorada em um nível fundamental.

H + é um novo nível de humanidade que estará livre de doenças, imperfeições e, em última análise, conseguirá a imortalidade física. O corpo poderá ser alterado ou corrigido e, em algum momento, até mesmo impresso por impressoras 3-D. As redes virtuais tornar-se-ão o novo habitat dos seres humanos e gradualmente irão substituir completamente a nossa realidade normal. Comparado com o H+, as utopias ou distopias de The Lawnmower Man ou The Matrix vão se tornar algo arcaico e superado.

Transhumanismo não é simplesmente um passatempo para excêntricos, designers ou fanáticos do progresso tecnológico. É o resultado dos últimos séculos, durante os quais a humanidade passou a acreditar seriamente no mito do progresso e da evolução. H+ é a conclusão final final da Era Moderna, da Modernidade. 

A ideia principal da modernidade era libertar o homem de todas e quaisquer restrições. Primeiro começaram pela religião, pela tradição e pela sociedade de castas, e então derrubaram o Estado e a nação a favor da sociedade civil. Em seguida, aboliram a visão normativa do gênero e da família normal, legalizando as mais diversas formas de mutações e perversões de gênero. 

E tudo isso ocorreu no contexto do desenvolvimento tecnológico de novas formas de produção, computadores e avanços na programação e da síntese de novos materiais. Ideologia e tecnologia gradualmente se fundem em algo único e indivisível. O progresso tecnológico tornou-se um fator ideológico, e a ideologia, por sua vez, se tornou em nada além de tecnologia. Daí a substituição de formas políticas clássicas por médicos especialistas.

Agora, chegamos à fase final da libertação da humanidade a partir de suas limitações. No Ocidente, já não há mais nenhuma religião, hierarquias políticas, famílias normais ou Estado no sentido mais completo do termo. Todas as fronteiras foram completamente derrubadas, ou seja, transgredidas. Agora, tudo o que resta é um último passo: superar os limites da própria espécie humana. Este é H+, a última palavra do liberalismo. O transhumanismo não é um produto estranho do desenvolvimento tecnológico - é o fim lógico da Era Moderna. De acordo com a modernidade, deveríamos atingir a Era dos cyborgs, dos híbridos, mutantes e quimeras, e agora chegamos nessa época.

Claro que a grande maioria da humanidade hoje não está pronta para se transformar em cyborgs ou mutantes. Mas ninguém pediu a opinião da maioria da humanidade. Toda a história é feita pelas elites. As massas nunca estão prontas para nada. Mas isso não significa absolutamente nada. Eles não estão prontos - eles estão sendo preparados, e ninguém nem percebe isso. 

O transhumanismo é inevitável se aceitarmos a tendência principal da Era Moderna, a fé no progresso, no desenvolvimento e na melhoria da humanidade. Esta religião, ou melhor, pseudo-religião do progresso, foi introduzida na Europa e no mundo pelo Iluminismo. Esta heresia gradualmente substituiu ou empurrou para a periferia todas as formas tradicionais de religião - em primeiro lugar, o cristianismo. É impossível parar a meio caminho neste percurso de progresso. Dizendo "a", temos que dizer "b", "c", "d" e todas as outras letras do alfabeto. H+ é a última carta. Daí em diante, apenas a linguagem do computador começa.

Os únicos que estão no lado oposto do pós-humanismo são os tradicionalistas fundamentais e consistentes. Eles rejeitam não apenas a mutação final, mas toda a Modernidade, a própria ideia de progresso e desenvolvimento, a imagem científica do mundo e a democracia e o liberalismo. Em vez disso, os tradicionalistas afirmaram e afirmam Deus, Igreja, Império, casta, poder e costumes populares. 

Não há progresso. O mundo moderno não é progresso, mas o resultado do declínio. É o reino do anticristo. Lutar contra H+ para rejeitar a transformação final ditada pela própria lógica da ideologia liberal da modernidade, enquanto ainda se aceita outros aspectos da modernidade, é algo que não faz sentido. O transhumanismo é o futuro inevitável se concordarmos com aquilo que o mundo é hoje. Se quisermos mudar nosso destino, devemos voltar no tempo e entender onde cometemos o erro fatal.

Desejo-lhe tudo de bom. Você assistiu ao Dugin's Guidelines [Diretrizes de Dugin] sobre o transhumanismo.

Os ensinamentos sagrados afirmam que o diabo é capaz de quase tudo, mas que ele não pode criar o homem. Ele só pode fazer uma paródia do homem ou fabricar seu simulacro. H+ é claramente um esquema dele.




Postado originalmente em: Geopolitica.Ru


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Visitas

Marcadores