quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Revelando o Tradicionalismo

Por: Alexandr Dugin
Tradução*: Jean A. G. S. Carvalho

*Feita com base na tradução inglesa de Jafe Arnold




Prefácio da segunda edição da obra "Puti Absoliuta" [Os Caminhos do Absoluto], publicada pela "Absoliutnaia Rodina" [Pátria Absoluta] (Moscou, Arktogeia, 1999/2000)


A obra "Os Caminhos do Absoluto" foi escrita em 1989. Seu principal objetivo era apresentar os fundamentos do Tradicionalismo, exibindo como a Tradição compreende as principais questões metafísicas, e sobre quais princípios filosóficos a visão mundial sagrada foi construída. Consideramos o trabalho atual como um tipo de introdução ao Tradicionalismo, como um tipo de transmissão das principais linhas de tradicionalistas modernos como René Guénon (o pai fundador dessa tendência), Julios Evola, dentre outros, ao contexto russo.

Procuramos por um propósito comum definido, e isso predeterminou os tópicos selecionados, os métodos de apresentação e as ênfases. Foi extremamente importante para nós colocar, ao menos uma vez, o Tradicionalismo por meio do contexto apropriado, e mostrar sua alternativa não-conformista radical e rígida às tendências filosóficas profanas e "humanitárias" da cultura moderna.

O Tradicionalismo não é a história das religiões, nem uma filosofia, nem uma análise sociológica estrutural. É mais um tipo de ideologia ou meta-ideologia que é totalitária em grande medida e que coloca demandas bastante difíceis diante daqueles que a aceitam e professam.

Ou o homem rompe com a totalidade dos clichês da visão de mundo da modernidade difundidos em todo o ambiente, revisa completamente seus pontos de vista e posições, investiga a gênese profana e, em seguida, os rejeita de uma só vez, a fim de aceitar as normas da Tradição com perfeita confiança e convicção irrestrita, ou ele permanecerá essencialmente fora disso, fora da cerca sagrada, nos pântanos dos mistérios de Elêusis do mundo moderno, no qual não há diferença fundamental entre professores e filósofos, e a massa obediente e absolutamente  irracional de leigos, incluindo até mesmo os intelectuais que, por razões "acadêmicas", estão interessados em vários assuntos "extravagantes", como a teologia, os rituais, o simbolismo, as sociedades tradicionais, etc. A ambição de enfatizar esse aspecto do Tradicionalismo com o máximo de clareza determinou a estrutura da obra "Os Caminhos do Absoluto".

No prefácio da primeira edição de "Os Caminhos do Absoluto", escrevemos o seguinte, sobre esse assunto:


"O 'Tradicionalismo total' surgiu na Europa do século XX como uma ideologia especial para um retorno completo e intransigente aos valores da civilização sagrada tradicional, cuja negação absoluta é a civilização materialista e secularizada moderna - o 'mundo moderno' como tal' . Ao contrário das pessoas que naturalmente pertencem à Tradição, os Tradicionalistas do Ocidente se encontraram cercados pela anti-tradição e, para afirmar sua posição, eles tiveram que revelar, antes de mais nada, os elementos e princípios da Tradição e declará-los abertamente - algo o que seria supérfluo nas sociedades sagradas e impossível nas sociedades totalitárias e ateias (como as comunistas, por exemplo)".


O primeiro entendimento dos leitores russos em relação às ideias do tradicionalismo tem sido, na nossa opinião, bastante adequado. Conseguimos antecipar a oportunidade de usurpar este tópico dos círculos profanos e neo-espiritualistas irresponsáveis.

Desde a primeira edição de "Os Caminhos do Absoluto", as primeiras traduções russas dos clássicos do tradicionalismo apareceram, e essa tendência continuará, claramente. Os leitores podem, gradualmente, familiarizar-se suficientemente com a totalidade da visão de mundo tradicionalista e, então, surgirá a nova tarefa de aplicar adequadamente a nossa própria tradição, para explicar quais os aspectos da mesma são aplicáveis à nossa realidade em toda a extensão e quais aspectos são sujeitos a determinados ajustes.

Há dez anos atrás, o prefácio dizia:


"As ideias de Guénon, cujas obras até então eram completamente desconhecidas pelos leitores russos, compõem os fundamentos deste livro. Consideramos possível evitar citações diretas de suas obras e optar por apresentar livremente como entendemos suas ideias e como as aplicamos posteriormente na esfera das doutrinas e símbolos metafísicos tradicionais. O presente trabalho contém uma apresentação dos princípios e conceitos básicos de Guénon, enquanto um relato detalhado das divergências entre esses e nossos pontos de vista sobre certos pontos da metafísica só faz sentido após a publicação das principais obras de Guénon em russo. Não importa o que seja, é Guénon quem foi e continua sendo nosso guia espiritual e professor ".


Hoje, pode-se dizer que isso realmente aconteceu e, paralelamente ao conhecimento mais completo dos russos com a obra de Guénon, os aspectos que se perderam no contexto geral de apresentar os fundamentos do tradicionalismo em The Ways of the Absolute chegaram a se destacar. Em nossa opinião, a lacuna que separa o "Guenonismo" ortodoxo ou a aderência literal ao pensamento de Guénon em todas as questões principais e menores, a partir da versão ligeiramente diferente da compreensão de questões metafísicas às quais nos aderimos, é sempre clara. Antes que a visão de mundo de Guenon nos fosse conhecida em seus contornos gerais, era prematuro insistir na qualidade e na essência dessa lacuna e, em geral, sem sentido na medida em que tal se assemelharia a uma comparação entre dois valores desconhecidos. Com o desenvolvimento de um desses valores, o mais proeminente tornou-se o segundo, intimamente relacionado com o primeiro.

Em "Os Caminhos do Absoluto", nos baseamos numa tradição metafísica particular, cujas linhas principais foram desenvolvidas num meio intelectual muito fechado e discreto, associado a pensadores como Geydar Dzhemal, Yuri Mamleev e Evgeniy Golovin. Tendo herdado deles o gosto pelo pivô paradoxal na intuição metafísica, tentamos combinar isso com o tradicionalismo ortodoxo, submetendo o último a correções decorrentes do espírito da escola acima mencionada. O resultado foi este livro.
O desenvolvimento intensivo de certas ideias levou o autor a toda uma série de novas conclusões metafísicas que foram expressas em nossas outras obras, sendo a principal "A Metafísica do Evangelho".
Decidimos introduzir algumas edições menores (principalmente nas citações) no texto desta segunda edição de "Os Caminhos do Absoluto", uma vez que algumas suspeitas gradualmente renasceram como convicções, e certos argumentos nos termos guenonianos ortodoxos são tão inadequados que nós resolvemos retirá-los do texto ou, no mínimo, corrigi-los substancialmente. No entanto, é extremamente importante considerar a cronologia da escrita e a primeira edição deste livro, como tal foi o primeiro passo naquilo que foi uma espécie de "revelação do tradicionalismo".


Postado originalmente em: 4pt

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Visitas

Participe do nosso Fórum Online

Siga-nos no Facebook

Marcadores