sexta-feira, 26 de maio de 2017

A Direita admite que seu candidato vai perder

Por: Jean A. G. S. Carvalho



A Direita está admitindo que vai perder as próximas eleições presidenciais?

Há uma convulsão política no país. A instabilidade é total. O governo sátrapa assumiu com a missão de reestruturar a política, trazer estabilidade e fomentar uma reorganização do país. Nada disso aconteceu. Ao contrário, todos os problemas se agravaram, principalmente aqueles que o novo governo havia se comprometido a solucionar.

Diante disso, com uma taxa de aprovação irrisória, descontentamento generalizado e desilusão com as instituições do país, com a própria Constituição e principalmente com as figuras e partidos políticos, o lema das "Direta Já" ganhou novo fôlego e tem sido defendido por inúmeras pessoas, das mais diversas filiações políticas - mas essencialmente de Esquerda.

A Direita, provavelmente mais por reflexo contra a Esquerda do que por iniciativa própria (afinal, não possuem princípios nem valores, apenas reações àquilo que a Esquerda faz ou deixa de fazer), não está exigindo eleições agora. E não vamos entrar no mérito se eleições imediatas resolveriam ou não o problema. Vale mais a pena fazer uma leitura simples desse gesto: a Direita assume, mesmo que inconscientemente, que não tem chances de vencer as eleições presidenciais e de que, numa eleição imediata, seu candidato favorito (Bolsonaro) vai perder.

A retórica é simples: se houver novas eleições, Lula será eleito. A própria Direita já entrega a vitória das eleições ao maior opositor de seu projeto. Mas o discurso não é justamente o de que Bolsonaro "lidera todas as pesquisas de intenções de voto"? O discurso não é justamente o de que ele tem uma massa cada vez maior de apoiadores? Se é essa a questão, por que o medo de novas eleições? Que diferença faria iniciar o processo esse ano ou em 2018, se a vitória do "mito" já está, segundo a Direita, mais do que garantida?

Se houvesse mesmo segurança em relação a Bolsonaro, a própria Direita faria coro ao "Diretas Já". Primeiro, porque seria a chance de retirar Temer do poder e colocar alguém do interesse deles. Segundo, porque a vitória já estaria "garantida" - é isso o que eles repetem sempre. Mas, certos de que se Lula concorrer Bolsonaro sai como derrotado, a única esperança da Direita é se agarrar ao cadáver de Temer para impedir o "retorno do comunismo". Dessa forma, o discurso moralista da Direita cai por terra: eles abraçam um governo de escória corrupta para impedir o adversário, ao invés de pressionar novas eleições para eleger um candidato "limpo" (o que sabemos que não é verdade).

Com cada gesto, a Direita dá mais força aos próprios adversários e assume cada vez mais suas fraquezas. Há ainda o agravante de que Dória, se realmente se lançar candidato, vai disputar o mesmo público que Bolsonaro, rachando seus votos e dificultando ainda mais sua eleição. Há muitos que já migraram do apoio a Bolsonaro para o apoio a Dória, uma figura mais sóbria e lúcida. Bolsonaro terá dois opositores pela frente: Lula (se não for preso) e Dória (se realmente se candidatar). 

E, mesmo que essas duas figuras não participem da disputa, qualquer outro candidato mais protecionista e trabalhista (bandeiras que Bolsonaro odeia, inclusive migrando do nacionalismo pleno herdado de Enéas para o típico liberalismo caricato do MBL) será um rival sério para ele, respondendo mais aos anseios da massa do que a mera retórica moralista e repressiva.

Bolsonaro continua sendo seu pior adversário: a falta de um projeto substancial, de coerência em diversos pontos e de uma capacidade de conciliação (algo mais importante, agora, do que o mero comportamento de hostilização) fazem com que dificilmente sua base de apoio se expanda para fora da mera massa de direitistas, cuja única razão existencial é a luta contra um comunismo imaginário, sem qualquer projeto próprio para o país ou para qualquer outra coisa.

As pessoas estão entendendo cada vez mais que nem todos os problemas se resolvem com porrete, bala ou polícia. 



 
Share:

4 comentários:

  1. Mais um pensamento retardado de Esquerda(normal). De que adiantaria Bolsonaro ganhar agora sem reformular a câmara dos deputados? Qual seria a garantia de apoio na câmara? Sempre o mesmo discurso , de hipócritas que defendem o trabalhador , defendem o comunismo/socialismo mas pagam de IPhone e carro importado . Quem escreveu essa reportagem provavelmente é mais um petista partidário que votaria em lula sendo bandido e com provas , e com o famoso discurso de burro: "Rouba mas faz!". E é claro que nada se resolve no porrete , na bala ou com a polícia, se resolve com apito, iluminação pública, e uma boa conversa com os estupradores e assassinos por aí. Parabéns senhor , ótimo discurso( SQN )!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ignorância sua não compreender a visão política do pessoal da Avante, economizaria energia.

      Excluir
  2. Primeiro q ngm apoia diretas ja pq é inconstitucional atualmente. O resto o amigo se cima ja deu aula :)

    ResponderExcluir

Visitas

Participe do nosso Fórum Online

Siga-nos no Facebook